Tamanduá-mirim é resgatado em ginásio poliesportivo de Candeias


A Prefeitura Municipal de Candeias através dos agentes da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura (SEMAA), realizou o resgate de um tamanduá mirim, na manhã desta segunda-feira (22), no Ginásio poliesportivo Mestre José Cardoso dos Santos. A equipe da SEMAA recebeu o chamado para realizar a captura por funcionários da Secretaria de Esporte e Lazer. Após o resgate do tamanduá, que se encontra na lista de animais em extinção, foi encaminhado para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS/INEMA) em Salvador. O veterinário do órgão, Nestor Blanco informou que, “no primeiro exame visual, o animal está saudável, sem nenhuma lesão aparente, apenas em um estado nervoso”. Após a realização de um exame detalhado, o Biólogo Haeliton Cerqueira encaminhará o Tamanduá Mirim para uma área de soltura, onde não é informado devido a caça predatória de animais silvestres. A SEMAA comunica a toda população, que caso encontre animais silvestres em vias públicas ligue para: (71) 3601-2721. 
Fonte publicada pelo site Bahia Notícias.

Alguns médicos veterinários explicam que há uma combinação de causas para o surgimento de cobras, tamanduás e até lontras em áreas urbanas, e dois dos motivos prováveis tem a ver com a destruição do habitat desses bichos vocês irão saber logo a seguir. A cidade segue crescendo e se aproximando cada vez mais das áreas com fragmentos de mata. O médico veterinário residente do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Animais Selvagens (Nepas) da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Gabriel Uzai destacou esse motivo, e disse que a outra causa, dá-se pelo motivo da seca, e quando há estiagem, os recursos necessários para a sua sobrevivência acaba diminuindo, e esses animais acabam saindo para as cidades em busca de água e comida. O calor e a falta de chuva fazem com que eles procurem locais confortáveis para se abrigar.
De acordo com o site wikipedia, o tamanduá-mirim (nome científico:Tamandua tetradactyla), também chamado tamanduá-colete, jaleco, mambira, mbira, melete ou mixila, é um mamífero xenartro da família Myrmecophagidae, sendo encontrado da Venezuela ao sul do Brasil. É uma das quatro espécies de tamanduás e junto com as preguiças está incluído na ordem Pilosa. São reconhecidas quatro subespécies. É um animal arborícola e pode ter até 105 cm de comprimento. É reconhecido principalmente por um padrão de pelagem que faz com que pareça que ele usa um colete preto, apesar de que essa coloração pode variar, com indivíduos totalmente pretos ou marrons. Possui longas garras nas patas anteriores, e caminha apoiando o peso sobre os pulsos dos membros anteriores, contrastando com o tamanduá-bandeira, que é nodopedálico.

A destruição do habitat desses animais é outra causa pela qual eles saem para buscar abrigo nas cidades e, com isso, alguns acabam sendo vítimas de predadores. Recentemente uma das APA 's do município vem enfrentando problemas com desmatamento e queimadas sem que nenhum órgão ambiental intervenha na ação que proporciona melhorias nos locais de habitação dessas espécies assim como a questão da preservação do meio ambiente, que é uma realidade que está muito distante da população candeense.
Atualizado em 22/02/2020

Um comentário:

  1. Candeias é terra sem lei! Por isso abusam das nossas belezas naturais queimam tudo desmatam, destroem friamente o nosso meio ambiente, até quando vamos viver esse tipo de política suja?

    ResponderExcluir