Em Candeias, poda irregular de árvore deixa diversas espécies de aves desabrigadas

 Uma poda grotesca feita numa árvore nas proximidades da praça irmã Dulce, em Candeias, acabou causando prejuízos à fauna. Quase uma centena de aves, muitas delas da espécie Certhiaxis cinnamomeus, conhecida como curruira-do-brejo, se utilizavam da espécie Fícus Benjamina para seus momentos de repouso e reprodução há um breve período. A ação criou revolta a mototaxistas e comerciantes que presenciaram a cena, já que todos os fins de tarde era notório a chegada dessas aves no local.  A copa, que é a parte estrutural da árvore que contém e dá sustentação às folhas, eram utilizados por essas aves para fazerem seus ninhos e dá suas crias, como presenciamos ontem (18) ninhos de aves presentes nessa Ficus e, com tudo isso, não houve conscientização por parte dos que executavam o serviço. O local onde está plantado a espécie não oferecia nenhuma forma de perigo até o momento, e até mesmo os fios chamados de "Alta" encontram-se distantes, não oferecendo riscos à população  já que uma poda realizada de forma correta não causaria tantos problemas.

"Cortei, e corto! Aqui ainda daria para tirar mais dois troncos desses, e se você estiver incomodado que leve para a sua casa plante" assim respondeu-me um dos funcionários da prefeitura que elaborava o corte, e ainda relatou que em dois meses a árvore cresceria novamente. Uma discussão foi gerada entre ambientalista e o suposto podador. Pessoas que estavam próximas e que presenciaram a discussão acharam absurdo a forma como o cidadão tentava se justificar em tom de arrogância, já que teria cometido um grave erro causando desconforto aos animais silvestres comprometendo assim um habit natural.

Cortes de árvores nesse padrão já vem causando polêmica há anos em Candeias, e o poder público encara a situação de forma insensata menosprezando, não somente as espécies de animais, mas, também a necessidade que o homem tem de respirar e viver melhor,  já que árvores promovem vida e saúde para o todos. De acordo com Augusto José Pereira Filho, professor de ciências atmosférica IAG/USP, cada espécie de árvore adulta consegue transpirar em média 400 litros de água por dia climatizando o ambiente mantendo a temperatura mais baixa em dias quentes.

Os trabalhos de podagem de árvores em Candeias são realizados pela secretaria de serviços públicos do município, e referindo-se ao ocorrido de ontem, nenhuma análise foi feita antes de executar os serviços. Mesmo presenciando ninhos de aves na espécie Ficus, a equipe que executava as atividades não cessavam de cortar a árvore se utilizando de um facão. A área não estava isolada e oferecia riscos para quem passava.

Como seria retirar alguém de seu próprio abrigo a força? Como nos sentiríamos caso alguém tivesse de invadir a nossa casa e destruir tudo o que houvesse, além do sono que é uma dádiva de Deus? Pois, assim acontece quando tentamos prejudicar também o espaço de seres inocentes. A bióloga da universidade  estadual de Santa Cruz de Cabrália, Celine Nogueira, afirma que, quando acontece corte das árvores em situações como essa, pode ser gerado um estresse nesses animais, já que ocorre um alvoroço e uma procura desesperadora de seus galhos, e com isso, acaba sendo provocado sérios problemas ao tentarem buscar o seu local de repouso. Geralmente, quando esses locais não são encontrados, pode ocorrer a mortandade desses animais.

Obs.: Bem sabemos que, algumas espécies de árvores plantadas no município de Candeias, assim como em vários, são espécies inapropriadas para arborização urbana, porém, como o poder público não entrou com uma ação de replantio de outras mais apropriadas há algumas décadas, seria necessário que fossem plantadas novas espécies para que no futuro venham substituir as que possam gerar danos, caso venha ser necessário.

Atualizado em 19/03/2021