Índice de Qualidade das Florestas de Manguezais na Baía de Todos Santos

Fig. 1- Equipe de pesquisadores navegando nas águas da BTS, região do Rio São Paulo, BA.
O projeto de pesquisa intitulado Desenvolvimento do Índice de Qualidade das Florestas de manguezais na Baia de Todos Santos (BTS), Bahia, contemplado na chamada MCTIC/CNPq - Nº 21/2017 – Pesquisa e Desenvolvimento em Ações Integradas e Sustentáveis nas Baías do Brasil, está sendo realizado por pesquisadores do grupo de Estudo de Ecossistemas Impactados (ECOSIMPA) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em parceria com pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) além da colaboração de pesquisador da Universidade de Santiago de Compostela (USC), situada na Espanha.
Em virtude da importância ambiental e socioeconômica do ecossistema de manguezal que está diretamente associada às suas funções como berçário para diversas espécies de aves, peixes e mariscos, comunidades bentônicas e como fontes de boa parte das proteínas (mariscos, crustáceos e peixes), consumidas ou comercializadas pelas comunidades ribeirinhas, constituindo significante fonte de subsistência.
Do ponto de vista físico participam da dinâmica geoambiental nos ambientes litorâneos, cuja evolução depende dos fluxos de matéria e energia associados aos processos hidrodinâmicos, proporcionados pelas flutuações de marés, vinculando trocas proporcionadas pela interação e interdependência entre os componentes do manguezal e de ecossistemas adjacentes.
Fig. 2 - Colaboração do ambientalista Gilmar de Oliveira na busca dos pontos amostrais.

Neste contexto, com a aplicabilidade de todo e qualquer esforço metodológico, objetiva-se obter informações sobre solos, plantas, organismos e impactos ambientais que possibilitem determinar o Índice de Qualidade das Florestas de Manguezais da Baía de Todos os Santos (BTS). Englobando diversos eixos temáticos:
1- conflitos em torno dos recursos naturais;
2- geomorfologia, geoquímica, geofísica, petrologia, estrutura e geotectônica;
3- ciclos biogeoquímicos;
4- cadeias produtivas da biodiversidade marinha integrada às populações tradicionais;
5- Saúde dos Oceanos.
E em prospecção de campo, realizada no dia 31 de julho de 2018, na qual podemos contar com a contribuição do ambientalista Gilmar de Oliveira, que desenvolve importantes trabalhos de conservação ambiental na porção Norte-Nordeste da BTS, foi possível contemplarmos pontos amostrais, no estuário do rio São Paulo, na Ilha de Madre de Deus e localidades adjacentes à belíssima Prainha de Aratu, importante Área de Proteção Ambiental.
E em nome de todos os membros do projeto, agradeço a colaboração, o parabenizo pela dedicação em prol do meio ambiente, desejo que tenha perseverança nas causas ambientais e possa ter coragem e sucesso nas suas decisões futuras. Texto: Ramos Junior, 2018.
Fig. 3 – Realizando amostragem piloto, para avaliação dos solos do manguezal.

Fig. 4 – Estuário do Rio São Paulo, definição de ponto amostral.










2 comentários:

  1. Muito bom saber que existe cidadãos no planeta em especial na Bahia, que se doam e se preocupam com a NATUREZA. Parabéns!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Professor Antonio! Vamos lutar pela preservação e garantir um futuro sustentável para as próximas gerações, vc tem um trabalho muito lindo aqui em minha cidade. Parabéns!

      Excluir