Incêndio ganha força em APA de Candeias a partir de dormentes descartados na reserva


Quem passou pela região da lagoa esse fim de semana percebeu o quanto o visual mudou e o quanto ficou tudo muito diferente por aqui. Por volta da segunda semana desse mês de fevereiro de 2021, focos de incêndios começaram a surgir nas proximidades da reserva ambiental lagoa da CCC, em Candeias. Moradores do bairro de Urbis I relataram que as queimadas deram início por volta do domingo (07), na localidade conhecida como "prainha" aqui mesmo na lagoa, porém, o fogo foi contido no dia seguinte antes mesmo de chegar na vegetação ciliar. Na segunda-feira (08), os incêndios voltaram a acontecer, entretanto, o fato ocorreu dessa vez de forma muito estranha já que cada ponto onde havia incêndio, também havia um ou dois dormentes em chamas, e alguns deles descartados no meio da vegetação, proporcionando incêndio em vários pontos da mata. 
Dormentes são aquelas madeiras colocadas de forma transversal por baixo da linha do trem, e o material não incendeia com um simples palito de fósforo. Um trabalhador que presta serviços para a concessionária Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), atual concessionária da linha, foi interrogado a respeito dos dormentes que foram descartados no local e que estavam em chamas e, em resposta, o mesmo afirmou que algumas pessoas teriam colocado fogo nos dormentes, mas não especificou quem foram elas. Ao contactar a FCA, em resposta, a mesma afirmou que, os dormentes que estavam na linha do trem foram vandalizados e que já teria dado ordens para que uma equipe da empresa retirasse o material. O colaborador que vem ajudando a conter o incêndio é ambientalista no município e mostra em vídeo como foi difícil apagar o fogo, já que há cinco dias vem usando garrafas plásticas para levar água de uma certa distância até os pontos onde haviam incêndios. O caso será encaminhado à Secretaria de meio ambiente do município e à empresa solicitando a remoção dos dormentes inúteis que estão descartados na reserva, já que se trata de um crime ambiental manter esse material degradado que propícia para o aumento de novas queimadas. 
Nesse domingo (14) no cair da tarde, foi registrado um novo foco de incêndio, nas proximidades do colégio Iêda Barradas; horas depois, o fogo foi controlado. Alguns moradores já reclamam de falta de ar, já que estamos em período de pandemia e algumas pessoas adquiriram o coronavírus, elas temem devido à fumaça.
No período o verão, geralmente esses acontecimentos se intensificam devido ao período da estiagem, mas, no município candeense, a chuva sempre esteve presente mesmo nesses períodos quentes, já que o município possui um clima de floresta tropical que proporciona chuva durante todo o ano, sendo impossível de haver um clima seco prolongado.  
A lagoa da CCC abriga uma fauna e uma flora exuberante onde detalhamos diversas espécies de aves, répteis e mamíferos que dependem desse ‘habitat’ para sobreviverem. Esse pedacinho de paraíso ecológico já vem sofrendo temporalmente devido ao racismo ambiental que vem predominando de forma incessante nessa APA. Cada morador acompanhou os processos pelo qual essa lagoa vem enfrentando e como ainda resiste a ponto de abrigar diversas espécies de vida, inclusive, uma variedade de plantas medicinais, ornamentais, e outras que servem para alimento de muitos animais silvestres.
Atualizado em 15/02/2021 


Provocar incêndio em mata ou floresta:
Pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa.
Se o crime é culposo, a pena é de detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano, e multa.

Art. 41 da Lei Federal 9.605/98