incêndios constantes em Candeias podem agravar quadros de Covid-19

Queimadas que acontecem com frequência no município de Candeias podem agravar sérios danos às pessoas que enfrentam quadro de infecção por coronavírus. 

Um relato do ex-presidente do Instituto de Medicina dos Estados Unidos, Harvey Fineberg no ano de 2020, a jornalistas em uma coletiva de imprensa virtual mostrou que incêndios intensos e as partículas que emanam podem exacerbar as infecções de coronavírus. A matéria que foi publicada pelo site G1 sinaliza o risco que o paciente pode enfrentar ao respirar a fumaça proveniente de incêndios que, na estação do verão, se intensifica ainda mais já que é uma estação vulnerável a queimadas por motivo de pouca chuva, muitos casos que acontecem de forma criminosa, e já outros ocorrem devido ao tempo muito seco e que acaba também expondo riscos às áreas de preservação ambiental. Já outra pesquisa feita em abril de 2020 pela Universidade de Harvard apontou que os componentes presentes na fumaça aumentam em 8% o risco.

Os leitores que acompanharam as publicações do blog semana passada puderam perceber que a situação em época de Covid-19 no município de Candeias não está nada fácil. Quem reside nas proximidades da lagoa da CCC, a exemplo dos moradores de Urbis I, Nova Candeias e Pitanga, sentiram-se bastantes incomodados com o mau cheiro da fumaça, onde incêndios que ocorreram de forma criminosa nessa região causaram mal-estar a esses moradores sem que o poder público viesse a usar meios de controle para conter esses focos de incêndio, já que se trata de um período de pandemia todo cuidado é pouco, e a administração municipal não se mostrou interessada no caso de modo a reduzir esses impactos caudados pela fumaça.  De acordo com relatos de alguns moradores, o incêndio na região da lagoa começou devido ao clima seco, esse foi controlado, porém, no dia seguinte, dormentes descartados nas proximidades da linha férrea foram a causa desses incêndios terem se intensificado.

Em épocas de verão, os casos de queimadas ocorrem em grande número, porém, em Candeias a situação é bastante mais grave comparando às outras cidades que também fazem parte da região metropolitana de Salvador. Nos quatro cantos da cidade conseguimos avistar fumaça, e o fato ocorre com frequência, dia-após-dia, além da poluição causada por uma empresa química que está instalada nas imediações do distrito de Caroba, outro fato que colabora dificultando ainda mais a situação, principalmente para pessoas que portam problemas graves de respiração. Outros locais conhecidos como: região e Pitinga, também são um dos mais afetados por queimadas em períodos mais secos. Os impactos ambientais nessas duas regiões citadas ocorrem com mais frequência, levando em conta que são locais de alta periculosidade pelo fato estarem concentrados diversos poços de petróleo, sondas e tubulações que fazem transferência de vários produtos inflamáveis para a refinaria Landulpho Alves. No vídeo a seguir, um dos dormentes que foi incendiado nas proximidades da lagoa, em Candeias, como o fogo ainda não havia alcançado a mata, restou tempo para apagar sem causar danos, porém, não foi caso dos demais que foram descartados por funcionários da empresa FCA e que causaram grandes prejuízos á flora local e às pessoas. Nenhuma providência foi tomada por parte do poder público, mas, a empresa enviou um email afirmando que os dormentes deixados no local foram vandalizados e que a retirada do material já estava sendo feita pelos funcionários da empresa.  

Postar um comentário