Vereador de Maragojipe, Badboy, denuncia muro em alto mar feito por empresário para criar praia particular na Ilha dos Frades

 
Uma denúncia feita por um vereador da cidade de Maragojipe, estado da Bahia, na tarde deste sábado (04), mostra um muro de contenção sendo construído em volta de uma ilha onde uma empresa que atua em nome do empresário Suarez, na região da ilha dos Frades, Baía de Todos-Os-Santos, local onde o empresário pretende construir mais uma de seus empreendimentos de modo a privar o acesso para pessoas.

 O vereador conhecido como Badboy denunciou o caso através de um video gravado no local onde o empresário tenta erguer uma barreira de modo a privar o acesso de pessoas que chegam de embarcações, sendo esses obrigados a pagarem uma taxa para ter acesso à ilha.

 No ano de 2021, a empresa Bahia Terminais, comandada pelo mesmo empresário, chegou a desmatar uma imensa área de manguezal nas imediações da Prainha de Aratu, em Candeias, onde um grande movimento de pescadores denunciou a empresa que está sendo investigada pelo MP-BA e pelo MPF. Os órgãos ajuizaram ação civil em favor das comunidades pesqueiras de Candeias e ilha de Maré.


De acordo com a fonte do site Bahia Notícia, ainda em mar aberto, o empresário murou quilômetros na Ilha dos Frades tornando a praia particular, sendo que qualquer ser humano tem que pagar no mínimo 25 reais para ter acesso ao paraíso construído por Deus na região.

Estamos tentando entrar em contato com a construtora Suárez para saber sobre essa invasão ou construção em ambiente natural, se está na legalidade iremos procurar saber quem cedeu alvará e se por isso eles estão cobrando para turistas entrarem na ilha.

Em 2016, o portal Bahia.ba havia feito denúncia sobre uma das causas bilionárias do investimento onde envolvem a prefeitura de Salvador e a filha de Suarez, confira:

A prefeitura de Salvador firmou um novo convênio com a Fundação Baía Viva, presidida por Isabela Suarez – filha do empresário do ramo da construção civil Carlos Suarez – para dar prosseguimento a ações nas localidades de Ilha dos Frades, Ponta de Nossa Senhora, Loreto e Bom Jesus dos Passos. Pelo acerto, o Município desapropriará áreas para a construção de um estaleiro e um centro receptivo para turistas e regulamentará o uso de novos píeres na Ilha de Bom Jesus dos Passos. Segundo os termos da parceria, a utilização do estaleiro será definida “em comum acordo” com a administração municipal.

O convênio também prevê que a gestão soteropolitana promoverá as localidades como destino turístico e regulamentará uma lei de 2012, relativa às regras de uso e ocupação das Áreas de Proteção Cultural e Paisagística da Ilha dos Frades (de Nossa Senhora de Guadalupe e de Nossa Senhora do Loreto) e da Ilha de Bom Jesus dos Passos. A norma determina os terrenos e as condições para novas construções na região, inclusive de hotéis.

Ganha-ganha – Em troca, a fundação manterá investimentos na região, como obras de requalificação urbana, requalificação de postos de saúde e policiais e construção de quadras poliesportivas, entre outras ações. Em meio ao acerto, também está prevista a implantação de uma prefeitura-bairro em Bom Jesus dos Passos. “É um convênio do tipo ganha-ganha. Ganha a fundação, que tem interesse em promover a região, e ganha a prefeitura, que não teria condições de fazer alguns desses investimentos. Não há qualquer repasse de dinheiro entre as partes”, afirmou ao bahia.ba o secretário municipal de Urbanismo, Silvio Pinheiro.

Segundo o titular da Sucom, a prefeitura quis deixar os termos do convênio “transparentes” por saber dos “questionamentos” feitos em relação ao grupo de Suarez na gestão do ex-prefeito João Henrique. O primeiro pacto do Município com a fundação foi firmado em novembro de 2012, com prazo de 24 meses. Naquele mesmo ano, alguns meses antes, o Ministério Público Federal (MPF) havia apresentado denúncia contra quatro empresas e novas pessoas, entre elas o próprio empreiteiro, por supostos crimes ambientais cometidos na Ilha dos Frades. Relatou o site!