Desmatamento de Mangue Gera Protestos de Pescadores Na Baía de Aratu, em Candeias.

Hoje, 9 de Setembro de 2020, por volta das 07:30 da manhã, pescadores e marisqueiros de ilha de Maré e Candeias fizeram protestos na Baía de Aratu nas proximidades do porto da empresa Ford, em Candeias. O protesto foi devido a um desmatamento de mangue que vinha ocorrendo há semanas atrás, o que gerou revolta nas comunidades ribeirinhas do local. Marizélia Lopes, líder de movimento pesqueiro de ilha de Maré convocou aos demais pescadores para mostrar ato de repúdio contra uma empresa que se instalou na região de Aratu com o intuito de construir dois terminais para atracar navios que prestaria serviços ao porto que fica próximo a área desmatada. As denúncias foram enviadas ao ministério público de Candeias, na pessoa da Promotora Cecília Carvalho Marins Dourado, se manifestou no fim da semana passada sugerindo a suspensão da licença das obras, que foram liberadas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) para construção de terminais portuários na localidade. Aproximadamente, 50 pescadores e marisqueiros estiveram no protesto de hoje pela manhã. Biólogos informam sobre a importância de manter preservado o ecossistema manguezal, já que é reconhecido como berçário de várias espécies marinhas, responsável na reprodução de peixes, crustáceos e moluscos, além de servir de local de repouso para aves residentes e migratórias. O desmatamento ocorrido foi visto pelos pescadores como um dos maiores crimes ambientais ocorridos no município de Candeias. Invasão em áreas de manguezal configura crime ambiental

Um comentário:

  1. Parabéns a todos os envolvidos nesse movimento de defesa ao meio ambiente.

    ResponderExcluir