Prainha da Boca do Rio (Ameaçada de Ser Extinta)

Políticos e Empresários! Essa Prainha é do Povo e Não Pertence a Vocês.
A Braskem (Odebrecht), em parceria, com a secretaria de Meio Ambiente da Bahia, com o Governador da Bahia (Rui Costa) e com parte de políticos do município de Candeias, planejam tomar uma decisão que pode colocar em risco a existência desse ambiente natural, caso ocorra  uma Aprovação para esse determinado projeto: darão Fim a essa Prainha que vocês estão vendo na fotografia, uma área de proteção ambiental, uma área de lazer e pesca usada pelos moradores da cidade de Candeias e regiões vizinhas, como consta na ATA do Centro industrial de Aratu referindo-se ao local como área de lazer e pesca, e fora da poligonal do Porto de Aratu, ou seja, nesta área não é permitido a construção e nem ampliação do Porto, mas, ao invés desses órgãos tentarem preservar, pretendem dissipar um bem nosso onde residem 15 famílias que do mesmo modo usam a área como Lazer e pesca. Segundo a fonte do site Poder360, a Empresa Braskem (Odebrecht) é a responsável em financiar a campanha do Governador Rui Costa (PT) no ano de 2014, e com isso, a empresa ganha liberdade para pressionar o Governador da Bahia para construir um Terminal que afeta o Balneário conhecido por Prainha de Aratu, ou, Prainha da Boca do Rio, Terminal esse que, com a construção, a tal empresa teria o poder de impedir os  moradores do local e Turistas de usarem a Prainha,  tornando assim, o local Privado pela tal empresa, onde A Lei Nº 9.605 em um de seus artigos pode aplicar penas a qualquer órgão que tentar impedir pessoas de frequentarem praias ou locais parecidos. Lei Nº 9.605 onde o parágrafo no artigo 54:4 que diz: Penaliza os órgãos que tentam dificultar ou impedir o uso publico das praias; e reforçando esse parágrafo, achamos em seguida: Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos a saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora; Pena: Reclusão, de um a quatro anos, e multa. Esse é o risco que corre o local com a construção desse Terminal.
Durante pronunciamento feito na Assembleia Lagislativa da Bahia no ano de 2016, o Deputado Marcell Moraes (PV) denunciou uma suposta ameaça feita por membros da Braskem a um líder comunitário da região contrário à obra no Porto Organizado de Aratu. De acordo com o parlamentar, um homem de prenome Elivandro foi convidado para discutir um projeto na sede da empresa. Ao chegar ao local, teria sido intimidado ao ser questionado sobre sua posição contrária à implantação do novo terminal portuário na “Prainha”, uma área de preservação ambiental. No documento entregue a Marcell, Elivandro teria relatado que os representantes da Braskem chegaram a apresentar um dossiê sobre sua vida, dizendo que ele trabalhava na Embasa e sugerindo que poderiam prejudicá-lo por meio de contratos com o governo do Estado. A Braskem omitiu informações importantes sobre os impactos ambientais de sua operação, a exemplo da descarga de produtos petroquímicos como hidrocarbonetos de petróleo, chumbo, cádmio, mercúrio, cromo, arsênio, pesticidas e solventes, mas, como presenciamos dia após dia pessoas sem dignidade e sem caráter sendo compradas por pessoas poderosas, perdemos a esperança de vencer essa guerra, moramos numa cidade composta de pessoas leigas, sendo a maioria, onde não recebem determinadas instruções sobre meio ambiente e impactos ambientais, onde alguns acontecimentos deixou marcados em nossa história, como: crimes de derramamento de produtos por navios causando a morte de vários peixes e crustáceos da nossa região, onde quem vem sofrendo com isso, são os marisqueiros e pescadores da região, não tendo assim nenhum benefício, mas pelo contrário, prejuízos que jamais serão revertidos.
Os Vereadores da gestão anterior no município tentaram reverter o quadro, juntamente com o Deputado Marcell e com o Juíz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, da 8ª Vara da Fazenda Pública do município de Candeias, trabalharam ao máximo para que o Terminal não viesse a ser construído, mas infelizmente vivemos num país onde a falta de vergonha impera, a ganância, a falta de caráter por parte de muitos políticos, que ao invés de lutar pelo nosso bem estar, vem destruindo o que a nós pertence, fazendo a consciência do povo regredir para que eles passem adiante e com suas belas conversas tentem convencer ao povo enganosamente. Marcell achou "sensata" a decisão dos vereadores e voltou a criticar o posicionamento do prefeito de Candeias. "Estou satisfeito com a decisão tomada pela Câmara de Vereadores, e impressionado com a falta de bom senso do prefeito da cidade, sargento Francisco. Querer mudar o PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano), trazendo prejuízos para o meio ambiente, não pode ser considerada uma decisão coerente", afirmou. A mudança no PDDU proposta pelo prefeito permite a ampliação da área industrial  para a Prainha, localizada na Baía de Todos-os-Santos, e que hoje é considerada uma área de proteção ambiental (APA). O deputado afirmou que apresentará denúncia ao Ministério Público contra  o prefeito por conta disso."Eu quero saber o que ele vai ganhar em troca para liberar a construção desse porto na Prainha? Pelo que consta, existe outra área onde é possível a construção do equipamento sem afetar o balneário, mas ele insiste em acabar com a proteção ambiental da área já incorporada ao contexto cultural e de lazer da região", questionou o parlamentar, que há algum tempo vem denunciando essa tentativa.
Desde o ano passado, após receber um abaixo assinado dos moradores da região com mais de 500 assinaturas contra a exploração industrial da Prainha,  Marcell Moraes vem acompanhando o caso.
Preocupado com a preservação ambiental, o deputado Marcell Moraes (PV)tem denunciado de forma veemente uma tentativa entre o governo do Estado e a prefeitura de Candeias que pode permitir que a empresa Braskem construa uma extensão do Porto de Aratu para um Terminal de Produtos Químicos no local conhecido popularmente como ‘Prainha’, no Canal de Aratu, próximo a Ilha de Maré e banhada pela Baía de Todos os Santos que pode sofrer um processo de degradação, gerando um grande impacto ambiental.
“A Braskem é uma empresa envolvida no Lava Jato. Estamos recebendo denúncias de que a empresa está pressionando o governo do Estado para fazer a ‘Prainha’, que é uma Área de Preservação Ambiental tentando pressionar o governo do Estado de todas as formas, inclusive dizendo que vai sair da Baia de Todos os Santos e vai para o Ceará. Eles querem ampliar o Porto (Porto de Aratu) para ganhar mais dinheiro e acabar com o lazer da população. Eles não vão conseguir chegar a lugar nenhum porque a sociedade acordou e não aceita mais isso. A Bahia já tem poucas áreas de lazer e, de fato, vamos tentar impedir que essa empresa destrua e degrade ainda mais o meio ambiente como vem degradando durante anos”, denunciou Marcell.
 Ao tomar conhecimento do assunto, o deputado destacou a necessidade de esclarecimentos por parte da empresa Braskem, do governo do Estado através do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Inema) e da prefeitura de Candeias sobre as denúncias.
Para combater a tentativa de destruição e lutar pela defesa e garantia da preservação ambiental no local, o parlamentar disse que já existem ações no Ministério Público sobre essa questão e que tem recebido denúncias relacionadas sobre essa suposta degradação, além de defender a conservação e preservação ambiental da ‘Prainha’, como espaço de lazer para os moradores das comunidades próximas ao local. Para o deputado, que é também ambientalista, é necessária uma grande mobilização para lutar contra essa tentativa de ação de degradação do local que coloca em risco o meio ambiente e que pode gerar um forte impacto ambiental. “Acho que o nosso papel como parlamentar é um papel árduo, e como eu sempre falo, sou ambientalista, protetor de bicho e estou deputado, não sou deputado. E não é nenhuma empresa envolvida em Lava Jato que vai conseguir me intimidar. Não tenho medo dessa Braskem, e com toda essa mobilização, a empresa está receosa. Não vamos retroceder nessa nossa luta e vamos continuar tentando de todas as formas impedir que essa empresa tente destruir a nossa Baia de Todos os Santos, nosso maior patrimônio”, ressaltou o deputado.
A Empresa Braskem é responsável por vários desastres ambientais na Bahia e em algumas outras partes do Brasil, como a exemplo da contaminação por mercúrio na enseada de Itapajipe, aqui em Salvador no ano de 2014, e também uma contaminação por cloro no estado de Alagoas, lançando uma fumaça tóxica deixando crianças e adultos com suas saúdes abaladas, onde foram internadas no hospital da cidade de Maceió, e em seguida, a justiça aplicou multas altíssimas sobre a empresa, mas que esses danos são irreversíveis à natureza. Continua  Nesta Página

Curta a Nossa Página No Facebook

15 comentários:

  1. Não sabia que Candeias guardava lugares tão bonitos e paradisiacos como estes.Fiquei encantado, espero que um dia possa visitar.Abraço a Todos

    Remerson Francis

    ResponderExcluir
  2. Sim, tem lugares bakanas, não são os melhores mas para quem gosta da natureza tem lugares bonitos, a cidade em sí não é bonita, só tem comércio e ladeiras, mas a redondeza da cidade, essa sim, vale a pena passear um pouco.

    ResponderExcluir
  3. candeias q lugar surpriendente muito lindo

    ResponderExcluir
  4. Prainha da Boca do Rio, Adooro esse pedacinha de de mundo, maravilhosos.
    Super calmo, acolhedor e seguro.

    ResponderExcluir
  5. massa irmão gostei da sua iniciativa , o seu comentario no post do blog é mais ou menos o que esculto falar que cadeias é um lixo, que mais conhece o tesouro que é a cidade de candeias , são os que a estudam profundamente, alguns de bom coração que adimiram e procuram preserva , outros que tiram as riquezas da nossa terra , enquanto muitos ficam a mercer demigalhas, reclamando que aqui não tem nada , estamos na cidade das luzes ,mas das luzes apagadas porque o nosso povo não tem coragem nem pra esticar o braço pra ligar o interruptor, (cleitonoliver@live.com)

    ResponderExcluir
  6. Nobre, Gilmar gostei muito deste blog, todas essas imagens eu tenho na minha memoria. sou filho de candeias nascido no Sarandi, hoje sou Licenciado em historia, porém voce consigui externar muita coisa que eu conheço. a prainha da Boca do Rio que fica perto da ponta da Laje no Porto de Aratu é também conhecida por Vila Goró, já bebí muita meiota de tatuzinho e velho Barreiro na biboca de Zé da Ema (in memoria).

    ResponderExcluir
  7. fiquei encantada com a beleza do lugar parabens por vc ter a iniciativa de nos mo strar lugar tão belo.

    ResponderExcluir
  8. tem pista para chegar ou er presciso passar por dentro do porto de aratu ?

    ResponderExcluir
  9. Amigo Marcelo, é mais fácil vc pegar o barco em caboto, pra passar por dentro do porto de aratu tem de ter um conhecimento com aqueles seguranças, mas não custa nada tentar, diz pra eles que vc veio conhecer a prainha, quem sabe alguns já conseguiram.

    ResponderExcluir
  10. Agora tem Lojas Americanas em Candeias...

    ResponderExcluir
  11. so faltou um mapa como chegar nesses lugares tao bacana ,chego em candeias e fico perdido sem ter onde ir .Só Madre de Deus

    ResponderExcluir
  12. só faltou um mapa como chegar a esses locais tao bacana..

    ResponderExcluir
  13. Ouve-se comentários a respeito da construção de um pier próximo à prainha, espero que a nossa festa não seja estragada por causa dessas empresas, esse lugar chama-se natureza e merece preservação no pouco que existe, eles já destruíram demais. CHEGA !!!

    ResponderExcluir
  14. SÓ DEUS NA CAUSA: Até a segunda-feira, 16, a prefeitura de Candeias pretendia colocar em votação nesta quarta, 18, na Câmara de Vereadores do município, um projeto que altera o Plano Diretor de Desenvolvimento no trecho que torna a Prainha área de proteção ambiental.
    Na prática, a localidade da Baía de Todos-os-Santos ficaria livre para a instalação do novo terminal industrial projetado pela empresa petroquímica Braskem.
    Nesta terça, 17, no entanto, o prefeito da cidade, Sargento Francisco (PMDB), desistiu de colocar a pauta em votação, enviando à Casa Legislativa um pedido de retirada do assunto da ordem do dia. De acordo com a assessoria da prefeitura de Candeias, a atitude foi tomada "por prudência" da administração municipal.
    "Diante da discussão sobre o tema amplamente divulgado pela imprensa", a prefeitura, ainda segundo sua assessoria, "buscará orientações jurídicas e técnicas junto à Procuradoria do Município e aos órgãos e instituições competentes".
    Questionamentos
    A posição do Executivo municipal nesse caso chegou a ser alvo da titular da 5ª Promotoria de Justiça de Candeias, Cecília Carvalho Marins Dourado, que enviou um ofício ao prefeito Sargento Francisco pedindo informações sobre um incentivo fiscal concedido à Braskem para a instalação do projeto de terminal industrial na Prainha.
    O ofício, enviado no dia 2 de maio, até esta terça não havia sido respondido pela prefeitura de Candeias.
    Procurado por meio de sua assessoria de imprensa para dar entrevista sobre o caso, o prefeito Sargento Francisco respondeu com o posicionamento já reproduzido pela equipe de A TARDE nesta reportagem.
    A TARDE também procurou a promotora Cecília Marins Dourado para comentar o assunto, mas ela não pôde dar entrevista, porque, de acordo com a assessoria do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), não estava disponível, por motivos pessoais.

    ResponderExcluir
  15. Esses Políticos de Candeias dão o que falar, desde que em entendo por gente que essa cidade não muda, e ainda querem destruir essa linda Prainha. Que Absurdo! Justiça neles.

    ResponderExcluir