Rios Jacarecanga e Joanes

Rio Jacarecanga
O Rio Jacarecanga é mais um dos rios pertencente à cidade de Candeias, e um rio pouco historiado, conhecido também como Represa Jacarecanga. O Rio está localizado próximo ao distrito de Caroba, junto ao distrito de Madeira, e depois do distrito de Pasto de fora indo pra Caboto. Pasto de fora, distrito que foi oriundo de uma antiga estação de embarque e desembarque de trem que havia no local, e pelo motivo também de algumas indústrias do CIA-NORTE que se instalaram nos distritos próximos, o distrito fica pouco antes da estrada via Matoim.
O Rio é um dos mais belos de todos os rios existentes na região de Candeias; O Seu canal tem o formato de curvas, cercado por campos, e à sua beira um capim verde com cores amareladas, deixando o rio com uma aparência mais bela. Fica próximo também a algumas fábricas instaladas no distrito de Caroba, saindo em direção à Candeias, à B-Á-522, e entroncando para a via Matoim, como se estivesse indo à região de Caboto.
Esse é o único artigo postado na internet sobre o rio Jacarecanga, embora procurei pesquisas na biblioteca da cidade e nada chegou ao conhecimento, nenhum artigo.
Lembrando também que Jacarecanga é o nome de um engenho aqui da região, que no passado, pertencia a Cristóvão de Barros, que foi governador, foi quando o Barão de Cotegipe desposou a filha do Conde de Passé do engenho Freguesia, considerada na época, a maior herdeira da Bahia, recebendo deste consórcio o Engenho de Jaccarecanga.
Rio Joanes
O Rio Joanes nasce no município de São Francisco do Conde, localizado no recôncavo da Bahia, e desemboca na praia de Buraquinho, no município de Lauro de Freitas. Os municípios que compõem a bacia hidrográfica do rio Joanes são: Lauro de Freitas, Camaçari, Simões Filho, São Sebastião do Passé, São Francisco do Conde, Candeias, Salvador e Dias d’Ávila. Com a área de aproximadamente 755 Km², o rio Joanes limita-se com a bacia do rio Jacuípe, as bacias da área urbana de Salvador, e a sudeste o limite da bacia é definido pelo oceano Atlântico. O rio Joanes é uma área de preservação ambiental, pois ele é responsável por cerca de 40% do abastecimento de água da região metropolitana de Salvador. A APA do rio Joanes tem como algumas características o clima quente-umido, espécies arbóreas como a sucupira e pau-pombo, aves como a aracuã, Maria verdinha e algumas espécies migratórias como a gaivota. Apresentam ainda mamíferos como a raposa e algumas espécies de serpentes. Os primeiros sinais da ocupação humana na área da bacia do rio Joanes se deram através da ocupação de algumas tribos indígenas, como os Tapuias, Tupinaês e Tupinambás. Foto: Rúbens Melo Saiba mais

5 comentários:

  1. muito bom esse blog. estou muito bem informada sobre o rio .

    ResponderExcluir
  2. Rio lindo, obrigado por divulgar esta beleza natural pouco conhecida pelos cidadãos candeenses!

    ResponderExcluir
  3. A poluição das águas é qualquer alteração em suas características físicas, químicas e biológicas que possa causar prejuízo à saúde da população, comprometer a fauna e a utilização das águas para usos benéficos. Milhares de rios são poluídos por todo o mundo todos os dias, o que representa um problema socioambiental bastante grave.

    A expansão urbana desordenada, aliada ao desenvolvimento da indústria e das atividades agrícolas são as principais causas da poluição dos rios. As atividades domésticas, industriais e comerciais geram poluentes característicos que influenciam de diferentes formas a qualidade das águas.

    A poluição dos rios pode ser química, física ou biológica. A poluição química é caracterizada por dois tipos de poluentes: biodegradáveis (produtos químicos que são decompostos pela ação de bactérias ao final de um tempo, como detergentes e inseticidas) e persistentes (persistem no meio ambiente e nos organismos vivos, sendo tóxico para estes, como o mercúrio). A poluição física altera as características físicas da água, a principal é a poluição por sólidos. A biológica é a contaminação da água por organismos patogênicos (bactérias, vírus, vermes, etc.).

    Várias são as fontes poluidoras dos rios, entre as quais se destaca o lançamento de esgotos residenciais, industriais e hospitalares não tratados. Esse esgoto aumenta a quantidade de matéria orgânica na água e consome oxigênio em seu processo de decomposição, causando a morte de peixes e outros organismos aquáticos. Além disso, causa mal cheiro e representa um risco a saúde publica, pois é constituído por vários micro-organismos patogênicos.

    Outra fonte poluidora é o depósito de lixo nos rios. Esse lixo é formado por resíduos sólidos, principalmente residenciais e industriais. O lixo vai se acumulando, provoca o assoreamento dos rios e pode chegar ao ponto de não permitir o fluxo da água para locais onde o rio é canalizado, provocando enchentes quando ocorrem chuvas intensas.

    O uso de defensivos agrícolas é a principal causa de poluição dos rios no meio rural. Os agrotóxicos usados acumulam-se no solo e são direcionados aos rios pela água das chuvas, onde intoxicam e matam diversos seres vivos. Os fertilizantes contêm em sua composição nitrogênio e fósforo, que quando atingem os rios provocam o desenvolvimento de uma superpopulação de algas, causando a eutrofização das águas. Esse tipo de poluição também é causado por indústrias de fertilizantes que lançam seus efluentes nos rios.

    No Brasil, quase todos os rios possuem algum tipo de poluição. Entre os mais poluídos estão os rios Tietê, Iguaçu, Ipojuca, dos Sinos, das Velhas e Doce. Algumas possíveis estratégias para evitar e diminuir a poluição dos rios é a implantação de sistemas de coleta e tratamento de esgotos, recuperação e revitalização dos cursos d’água, controle dos usos e ocupação do solo e correto manejo de resíduos sólidos. Além disso, conscientizar a população a respeito dos problemas causados pela poluição dos rios é fundamental.

    Referências
    Magossi, L. R. e Bonacella, P. H. Poluição das águas. São Paulo: Editora Moderna, 1997.

    Arquivado em: Meio Ambiente

    ResponderExcluir