Represa São Paulo

A Represa São Paulo, conhecida também como Rio São Paulinho, está localizada ao lado do entroncamento Candeias Via São Francisco do Conde, BA-522, próxima à área de planta de gás natural, e ao lado da Estação São Paulinho. A Microbacia do rio é composta por três ambientes diferentes, onde um desses ambientes conhecido como Represa Coréia, limite esse onde as águas é bastante utilizada pelos moradores do distrito de Socorro (São Francisco do Conde) como área de pesca, aproveitando também a água para uso doméstico; e o mesmo procedimento é adotado pela Refinaria Landulpho Alves, onde a empresa utiliza as águas do rio para lavagem e processos industriais. A Segunda parte do rio são as drenagens que corta o município de Candeias, onde chamamos de Represa São Paulo ou Rio São Paulinho, drenagens essas onde onde a contaminação da água é mais intensa devido a falta de saneamento e de conscientização ou interesse dos órgãos públicos. Apesar de ostentar importância ambiental e social, este rio é submetido a agressões constantes, principalmente, por estar circundado por inúmeras atividades industriais e margeado por diversos municípios e pequenos povoados, que tem provocado diversos impactos ambientais.
A Terceira parte do Rio, é a que segue em direção à região de Pitinga, em Candeias, e assim, as águas da Represa vão se misturando às águas salgadas do mar.
O Canal de Pitinga mede aproximadamente 6 km até chegar ao distrito de Passé, e desaguar na Baía de Todos os Santos. Esse canal  margeia  a Região do Coqueiro Grande, em São Francisco do Conde, onde a localidade é bastante utilizada por pescadores das duas regiões, nas atividades não somente de pesca, mas também de caça.
Fonte: Baseado nas pesquisas de Antonio Bomfim da Silva Ramos, Mestrado em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente – Instituto de Geociências, Universidade Federal da Bahia, 2012. Hidroquimica do Rio São Paulo, recôncavo baiano.
A Localidade do Rio São Paulinho foi palco de acontecimentos que ficaram na história, onde o historiador Jair Cardoso menciona em um de seus livros sobre a guerra dos Holandeses, fato esse que aconteceu nas proximidades do Rio, no ano de 1627. Outro marco que ocorreu próximo ao São Paulinho, foi a descoberta do Primeiro poço comercial de petróleo do Brasil, o Poço C-1, na fazenda do Coronel José Barbosa Ferreira, no ano de 1941, onde nessa localidade, além da fazenda do Coronel,  haviam outras residências e outras fazendas, mas, com a descoberta desse poço C-1, a Petrobras tomou a iniciativa de desapropriação dessas famílias, pois ali se tornaria um amplo campo petrolífero de Candeias, havendo nos dias de hoje, próximo ao rio, a planta de gás natural e a estação São Paulinho, como foi citado no começo da postagem, estação essa que é responsável em coletar o petróleo extraído dos poços locais e enviar por meio de dutos à Refinaria Landulpho Alves, onde a matéria-prima é processada e transformada em gasolina, diesel, parafina e outros derivados do petróleo, chegando assim no Temadre, na cidade de Madre de Deus, onde é distribuído para o mercado consumidor.
A Região do Rio São Paulinho é frequentada por alguns moradores da cidade que fazem atividades de caça e pesca; principalmente, os moradores dos bairros: Santa Clara, Malembá de cima, Malembá de baixo, e Nova Brasília; bairros esses citados que são os bairros mais próximo ao rio.
Até o meado dos anos 90, esta região da Represa era uma das regiões mais arborizadas da cidade de Candeias, mas, com a falta de conscientização ambiental por parte de moradores da cidade e de outros visitantes, esse local veio sendo desmatado e sofrendo sérias agressões, as queimadas vieram a ser constantes e as principais árvores que existiam em grande quantidade, que eram o Pinheiro e o eucalipto, começaram a desaparecer assustadoramente, onde nos dias de hoje notamos claramente a forma como essas árvores foram agredidas e dissipadas. Os Pinheiros foram árvores plantadas pela Petrobras logo após a descoberta do petróleo na região de Candeias.
Chegando o desaparecimento da flora, grande parte da fauna também é comprometida, as ações do homem sobre o meio ambiente geram impactos e prejuízos que afetam a vida no planeta. Dentre as mais degradantes destas ações, o desmatamento destaca-se pela amplitude e gravidade de seus efeitos, que além de prejudicar a Biodiversidade, essas ações vem sendo responsável pelos grandes problemas da atualidade, como a escassez da água e o aquecimento global.
Evitem o desmatamento e as queimadas neste local, pois, se trata de uma área de alta periculosidade, e por motivo de ser um campo petrolífero, oferece sérios riscos não somente à população de Candeias, mas a todos os que circulam pelas áreas da Região.
Saiba mais sobre o Rio São Paulinho numa de nossas postagens Chamada de Pitinga
Anúncio

13 comentários:

  1. Tô feliz demais por conhecer tanto de Candeias aqui nesse blog, parabens Gilmar.
    Com 3 pra 4 anos ate os 5 morei na beira do rio São Paulinho ,meu pai era petrolheiro e nos eu e meu irmão amavamos aquele lugar . EU ♥ CANDEIAS

    ResponderExcluir
  2. Olá Iralice, que bom ter você aqui em nossos comentários, fico feliz em saber que vc faz parte da história de nossa cidade, Obrigado pela visita e volte sempre.

    ResponderExcluir
  3. Por volta dos anos 1970-1972, eu morei nesta localidade "São Paulinho", quando eu passo indo para Mdre de Deus eu ainda me lembro do Local pois tem uma Chaminé antes do trevo do corpo de Bombeiros.

    ResponderExcluir
  4. Gilmar meu querido, meu nome é Ulisses, sou graduando de Ciências Biológicas da UNEB e estou escrevendo minha monografia a respeito da pesca artesanal de camarões no distrito de Passé. Por favor me ajude, qual é o nome do estuário formado pelo encontro do Rio São Paulinho com a Bahia de todos os Santos?
    ulibrito65@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado a todos pelos comentários e em breve estarei atualizando as informações sobre o Rio.

      Excluir
  5. Caro Gilmar, o rio a que me refiro é justamente o que está no início do seu blog. Fica próximo ao entroncamento de São Francisco do Conte/Candeias. Sou neto de Passé e num futuro próximo pretendo morar lá, na Mucunga. Faço coleta de camarão ali no Rio do Cunha. Segundo alguns artigos que li esse rio, São Paulinho desagua na Bahia de Todos os Santos.

    ResponderExcluir
  6. Ulisses, só vc vindo aqui pra conferir de perto, eu vou ver se consigo salvar uma foto desse rio em mapa satélite pra vc conferir melhor, blz? eu fico feliz com o seu trabalho e te desejo uma boa sorte amigo e seja feliz em seu curso.

    ResponderExcluir
  7. Olá Gilmar!

    Estudo o rio São Paulo a 3 anos, verificando problemas ambientais (que não são poucos), e respondendo a pergunta acima o rio deságua na BTS com certeza.
    Gostaria de conhecer um pouco mais do entorno da área, e gostaria de disponibilizar algumas informações no seu blog.
    Entra em contato no meu email: bomfilhojr@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá Gilmar!

    Estudo o rio São Paulo a 3 anos , e com certeza ele deságua na Baía de Todos os Santos.
    Inclusive gostaria de disponibilizar algumas informações já publicadas até mesmo a nível internacional.
    Então gostaria que entrasse em contato comigo o mais breve possível, até porque pretendo conhecer todas as áreas do entorno e acho que será de grande valia para você também.
    Aguardo um contato o mais breve possível.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. O Rio Sao Paulinho e principal ou afluente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem Quiser conferir uma vista aérea do Rio São Paulinho aqui está, porém, ele é diferente da Represa São Paulo. https://4.bp.blogspot.com/-ekq4vrIjff4/Wlj6_-0L9PI/AAAAAAAAHFU/7W4ZbJRAo1sHJ8Y2Kzwr5WGWuUIb5qs2ACLcBGAs/s1600/Rio%2BS%25C3%25A3o%2BPaulinho.jpg

      Excluir
    2. Ele é um principal com várias afluentes.

      Excluir
  10. A poluição das águas é qualquer alteração em suas características físicas, químicas e biológicas que possa causar prejuízo à saúde da população, comprometer a fauna e a utilização das águas para usos benéficos. Milhares de rios são poluídos por todo o mundo todos os dias, o que representa um problema socioambiental bastante grave.

    A expansão urbana desordenada, aliada ao desenvolvimento da indústria e das atividades agrícolas são as principais causas da poluição dos rios. As atividades domésticas, industriais e comerciais geram poluentes característicos que influenciam de diferentes formas a qualidade das águas.

    A poluição dos rios pode ser química, física ou biológica. A poluição química é caracterizada por dois tipos de poluentes: biodegradáveis (produtos químicos que são decompostos pela ação de bactérias ao final de um tempo, como detergentes e inseticidas) e persistentes (persistem no meio ambiente e nos organismos vivos, sendo tóxico para estes, como o mercúrio). A poluição física altera as características físicas da água, a principal é a poluição por sólidos. A biológica é a contaminação da água por organismos patogênicos (bactérias, vírus, vermes, etc.).

    Várias são as fontes poluidoras dos rios, entre as quais se destaca o lançamento de esgotos residenciais, industriais e hospitalares não tratados. Esse esgoto aumenta a quantidade de matéria orgânica na água e consome oxigênio em seu processo de decomposição, causando a morte de peixes e outros organismos aquáticos. Além disso, causa mal cheiro e representa um risco a saúde publica, pois é constituído por vários micro-organismos patogênicos.

    Outra fonte poluidora é o depósito de lixo nos rios. Esse lixo é formado por resíduos sólidos, principalmente residenciais e industriais. O lixo vai se acumulando, provoca o assoreamento dos rios e pode chegar ao ponto de não permitir o fluxo da água para locais onde o rio é canalizado, provocando enchentes quando ocorrem chuvas intensas.

    O uso de defensivos agrícolas é a principal causa de poluição dos rios no meio rural. Os agrotóxicos usados acumulam-se no solo e são direcionados aos rios pela água das chuvas, onde intoxicam e matam diversos seres vivos. Os fertilizantes contêm em sua composição nitrogênio e fósforo, que quando atingem os rios provocam o desenvolvimento de uma superpopulação de algas, causando a eutrofização das águas. Esse tipo de poluição também é causado por indústrias de fertilizantes que lançam seus efluentes nos rios.

    No Brasil, quase todos os rios possuem algum tipo de poluição. Entre os mais poluídos estão os rios Tietê, Iguaçu, Ipojuca, dos Sinos, das Velhas e Doce. Algumas possíveis estratégias para evitar e diminuir a poluição dos rios é a implantação de sistemas de coleta e tratamento de esgotos, recuperação e revitalização dos cursos d’água, controle dos usos e ocupação do solo e correto manejo de resíduos sólidos. Além disso, conscientizar a população a respeito dos problemas causados pela poluição dos rios é fundamental.

    Referências
    Magossi, L. R. e Bonacella, P. H. Poluição das águas. São Paulo: Editora Moderna, 1997.

    Arquivado em: Meio Ambiente

    ResponderExcluir