Mutirão de Limpeza Na Prainha de Aratu Mês 09/2017

Hoje, 30 de Setembro de 2017 aconteceu mais um dos eventos criado para manter a beleza e a conservação do nosso balneário natural, que é a nossa Prainha da Boca do Rio, a mais conhecida por Prainha de Aratu; e nessa oportunidade, venho agradecer Primeiramente ao Criador de todas as coisas (Deus) e aos amigos que colaboraram de forma prazerosa com a limpeza da nossa Prainha. Aos amigos: Ricardo, Dado, Rosemeire, Ellen e Jeovan; A Todos vocês o meu muito obrigado e também a todos que estavam presentes no momento e parabenizou a nossa equipe pelo nosso belo trabalho,  a todos vocês que admiram esse trabalho gostaria de dizer que, se acaso vocês sentirem o desejo de colaborar para que este trabalho se torne mais intenso, seria bem vindo à doação de sacolas plásticas no tamanho de 200kg e luvas apropriadas, pois esse trabalho não tem patrocínio algum, e sendo que os gastos vem de minha pessoa, faço isso com muito prazer desde o ano de 2009 e, com ou sem ajuda, darei continuidade até o dia que o Criador a mim permitir.
Descartes de resíduos semelhante a esses são praticados, na maioria das vezes, por banhistas e barraqueiros e que tem se tornado um grande problema que preocupa ambientalistas que desenvolvem trabalhos de preservação nas praias, pois, a contaminação do solo, das plantas e das águas, na maioria dos casos, é um problema que vem dos descartes de lixos e da poluição química.
A fotografia acima mostra a grande insensatez por parte de banhistas que vem à Prainha de Aratu para curtirem o seu dia de lazer não se preocupando com os futuros danos que podem causar essa grande quantidade de lixo deixados nas reservas ambientais, oferecendo riscos, principalmente à vida marinha, sendo que muitas delas servem como fonte de alimentação para muitas famílias que dependem da pesca.
A Tabela de tempo de decomposição é um instrumento que tem ajudado a sensibilizar Àqueles que não tem noção de que um ato como esse quando praticado, deixa marcas por dezenas e centenas de anos na natureza pois, cada tipo de lixo tem o seu tempo determinado para se degradar no meio ambiente.
Esse local é nosso! Não é nenhuma empresa que tem o direito de fazer o ela tanto almeja, ou seja, degradar a natureza é crime, e sempre estamos abordando esse tema pelo fato de muitos empresários abordarem somente da boca para fora, pois grande é a hipocrisia desses empresário; a luta pela Prainha não vai parar, enquanto empresários gananciosos tentarem usurpar o nosso balneário natural, estaremos de braço forte lutando, não podemos deixar suceder o mesmo que sucedeu-se no passado, onde os índios foram dissipados pelos grandes nobres senhores, dissipando assim a verdadeira nação do Brasil, que é a tribo indígena, é muito lamentável agente passar por situações como essas, pessoas se aproveitando do poder para meter mão naquilo que temos de mais valioso, a natureza, como o caso mais recente onde a empresa Braskem tenta de todo o jeito degradar a nossa Prainha de Aratu, com o alvo não de gerar empregos, mas de encher mais e mais o bolso às nossas custas, iludindo a classe trabalhadora com uma obra tão mínima, tão pequena, que o resultado seria a perda do total do nosso ambiente natural e o risco que correria a nossa baía mediante aos produtos químicos perigosos, onde coloca a vida marinha e os banhistas em risco.
Por volta das13:10 demos início ao nosso mutirão de limpeza, a começar do início da Prainha (Próximo às esferas da Braskem) onde a situação estava um pouco mais crítica pelo fato de o lixo estar mais escondido e o mato o cobria, mas eu e o amigo Ricardo conseguimos realizar a limpeza no local, enquanto Dado e Rosemeire limpava a parte central (caminho que dá acesso à Vila de moradores).
A Nossa amiga Ellen Celestino e o Nosso amigo Jeovan Miranda participaram conosco do mutirão de limpeza; A Ellen é nativa do local, e dessa vez, se empenhou em nos ajudar, e sou grato desde já aos dois amigos. Que Deus possa abençoar a vocês e já estão convidados para o próximo, fiquem sempre com a gente nessa luta, pois foi um prazer.
No Total foram 13 sacolas plásticas de 200L cada. Vocês que frequentam este lugar, por favor, não façam dessa praia um depósito de lixo, fazendo isso você está demonstrando falta de consciência para com o meio ambiente e colocando em risco a vida marinha. Muito nos admira o fato de o Governador Rui Costa juntamente com a Empresa Braskem tentar destruir um tão belo local como esse; Acredito que a natureza humana de muitos está se transformando em natureza de monstros, verdadeiros gananciosos que só pensam no poder e no dinheiro, mas vamos lutar pelo nosso balneário até o fim, pois não queremos terminal, queremos a vida marinha e o bem estar, que serve para sempre enquanto vivermos. Preservem o Meio Ambiente!

2 comentários:

  1. Estaremos sempre meu amigo nessa luta conte sempre comigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ellen! vc é muito gentil, e em breve estaremos marcando outro, se assim Deus nos permitir.

      Excluir