Tudo Sobre Candeias

"Antes, apenas um povoado de Salvador, hoje é um município que é uma potencia industrial, com um litoral exuberante, com um patrimônio histórico invejável, cuja sede é muito mal urbanizada e mal construída. Consequência de ser uma cidade dormitório de Salvador, habitada principalmente por trabalhadores industriais não especializados, de baixa renda, com uma sucessão de prefeitos corruptos e incompetentes. A topografia da cidade também não ajuda, por ser muito acidentada, que dá um aspecto de favela". Palavras de Um leitor do Blog.
introdução - Seja Bem Vindo à cidade de Candeias Bahia; A Terra do petróleo, dos morros e do comércio. Nesse conteúdo você vai conhecer a cultura, história e pontos turísticos da cidade, sem contar também que o alvo dessa página é fazer com que os candeenses e visitantes desse blog meditem sobre o meio ambiente e como cuidar da natureza.
A Palavra candeias é o plural de candeia, que quer dizer: candeeiro de óleo ou de cera; É Uma lâmpada formada por um recipiente de barro ou de folha, munida de um bico pelo qual passa a extremidade de um pavio, que se enche de óleo para queimar. Segundo o historiador de nossa cidade, o Professor Jair Cardoso, em seu livro, Candeias História da Terra do Petróleo, o nome da nossa cidade foi dado devido à presença em abundância de madeira por nome candeia, a qual era usada pelos religiosos que moravam próximo ao Rio São Paulinho para fazer tochas em caminhada à igreja matriz da cidade. A árvore candeia (Gochnatia polymorpha), também popularmente conhecida como: cambará, cambará do mato, cambará guaçú e cambará de folha grande; é uma planta de porte médio pertencente à família Asteraceae. Esta planta vive em terrenos abertos, com distribuição esparsa e é muito utilizada para a fabricação de cercas e na confecção de telhados e coberturas de construções, pois possui uma madeira resistente à água e outras adversidades do ambiente externo. A cidade é de topografia irregular, estilo favela e com morros e ladeiras. Candeias possui uma população de mais ou menos 89.707 habitantes, Segundo o Senso do IBGE 2017, numa área de 251,628 km². Fica a beira da BR 324 e se liga com a mesma pela BA-522, Há 40 km de Salvador. A População é de maioria afrodescendente e o motivo você vai saber logo a seguir. Agora vamos falar um pouco da história do município.
Tudo começou no século XVI, a partir das terras de Caboto, quando o lugar foi tomado pelos portugueses, dando assim origem às histórias dos engenhos de Freguesia e Matoim, engenhos esses responsáveis pelo crescimento populacional da cidade, com o aparecimento do ciclo da cana-de-açúcar, onde Caboto foi um dos primeiros lugares do Brasil na produção da economia açucareira, quando vários escravos foram trazidos da África para a região de Candeias pelos portugueses, às terras de Caboto, e assim, foram eles explorados nessa mão-de-obra, produzindo a substância que era comercializada e vendida a vários comerciantes, não somente da Bahia, mas de várias partes do país e do mundo, principalmente no mercado Europeu, fazendo de Candeias um lugar conhecido nacionalmente devido a esse tipo de trabalho.
O Centro da cidade de Candeias teve origem a partir de um dos engenhos pertencente aos portugueses, o Engenho Pitanga, que estava localizado próximo à igreja matriz, e em 1720 sob a direção de alguns líderes religiosos, produzia o melhor açúcar da Bahia, exportando assim o produto ao país de Portugal. Surgem assim, as primeiras ruas da cidade, sendo elas: Largo da Igreja, Rua dos Milagres, Rua Direita, Rua do Birreiro, Rua do Tamarindo, Largo da Feira e Rua da Estação. Nos dias de Hoje, essas ruas encontram-se renomeadas, mas não citarei os nomes atuais das mesmas nesse parágrafo.
Em 14 de Agosto de 1958, Candeias foi denominada cidade com a emancipação política, separando-se assim das terras de Salvador, de onde o município era subúrbio, e o que colaborou mais para Candeias tornar-se cidade, foi a descoberta do petróleo em 1941, onde o município passou a ser mais valorizado e mais ainda conhecido. O Que antes disso, no ano de 1939, no bairro do lobato em Salvador, os moradores usavam uma lama preta para ascender as suas lamparinas, chegando assim ao conhecimento de algumas autoridades, que, desceram imediatamente para conferir se essa lama preta era o ouro negro, o petróleo; e ao se confirmar que era o petróleo, tentaram extrair em grande quantidade, mas não teve sucesso, e a mesma sonda que puxou o petróleo no bairro do Lobato descia para Candeias no ano de 1941, onde perfurou um poço na fazenda São Paulinho e foi de onde jorrou o valioso petróleo, formando assim o poço C-1, em Candeias, primeiro produtor comercial de petróleo em território brasileiro; A Fazenda São Paulinho era de propriedade do Coronel José Barbosa de Ferreira que atuou na cidade de Candeias como vereador, e seus filhos Ubaldo e Egberto de Carvalho ferreira formaram a ideia de emancipação política do município, assim, tomaram posse dessa liderança e anos depois Egberto e Ubaldo foram eleitos prefeitos da cidade de Candeias, logo após o primeiro prefeito Francisco Gualberto Dantas Fontes, e com isso, começou assim, a história da política de Candeias.
Após o poço C-1, foram localizados muito mais poços de petróleo na região deixando assim a cidade de Candeias conhecida Como terra do petróleo, dando assim, origem à Refinaria Landulpho Alves, que fica próximo a Candeias fazendo parte da cidade de São Francisco do Conde.
Depois da descoberta do petróleo, Candeias veio se desenvolvendo ainda mais com a implantação de várias fábricas e portos, a exemplo do Porto de Aratu, que é responsável por 60% de toda a carga movimentada em modal marítimo na Bahia, e também o Porto da Ford, que é o primeiro porto do mundo pertencente a Ford construído pelo governo da Bahia e é a primeira vez na história que a montadora tem um porto próprio.
Como chegar a Candeias: Metropolitana de Salvador. Salvador (S), São Francisco do Conde (N), Simões Filho (L) e Madre de Deus (O). Sair de Salvador pela BR-324 em direção à Feira de Santana e seguir por 32 km até o entroncamento com a BA-522. A partir daí, mais 10 km até a cidade de Candeias.
Vale lembrar que, os pontos turísticos da cidade não se encontram no centro ou em bairros próximos, mas sim na redondeza da cidade, ou seja, nos distritos e partes mais afastadas, no centro você só irá encontrar comércio e movimento intenso de veículos.
Conheça também os prefeitos que governaram Candeias em ordem: Dr. Francisco Gualberto Dantas Fontes, Egberto de Carvalho Ferreira, Antonio Patterson de Melo Pereira, Alfredo da Silva serra, Dr. José Inaldo de Oliveira, Dr. Matheus Fainstein, Dr. Celino Gomes da Silva, David dos Santos Caldeira, Eliodoro de Jesus, David dos Santos Caldeira (Eleito Novamente), Maria Angélica Juvenal Maia de Queiroz, Antonia Magalhães da Cruz (em seguida Reeleita), Maria Célia de Jesus Magalhães Ramos, Maria Angélica Juvenal Maia de Queiroz, Sargento Francisco, e eleito no ano de 2016 Dr. Pitágoras, para administrar no ano de 2017.

Caboto - O Maior Potencial Turístico de Candeias

A Origem do Município de Candeias data de meados do Século XVI, A partir das terras conhecidas como Matoim, sesmaria importante naquele período, pois abrigava os Engenhos de Caboto e freguesia, oriundos das terras dos Engenhos Pitanga e da Freguesia de Nossa Senhora de Encarnação do Passé. Essas localidades deixaram uma marca significativa de uma época na qual predominava o Ciclo da Cana-de-Açúcar, etapa fundamental na formação da Bahia, principalmente do Recôncavo, determinante na estruturação ética e cultural da população local como também de suas características sócio-econômicas.  Nas proximidades do engenho freguesia, desenvolveu-se o lugarejo chamado Caboto, cujas atividades principais eram o transporte de açúcar para a capital, pequeno comércio e a pesca. Os engenhos freguesia e Caboto marcaram o florescimento da economia açucareira no recôncavo, funcionando em todo o período colonial, sendo inclusive considerado como exemplo na década de 1560. O Distrito de Caboto está localizado às margens da Baía de todos os santos, em frente à Ilha de Maré, a 65 km de Salvador, há 15 km da cidade de Candeias, cidade de onde o distrito faz parte. Caboto é uma-pequena vila de pescadores habitada por pessoas de vida simples, sendo que, a maioria delas vivem da pesca e do Turismo, e com seus simples bares e restaurantes oferecem uma diversidade de pratos com frutos do mar sem contra com o belo visual que oferece o local, sendo que na atualidade, é um dos distritos com maior potencial turístico de Candeias.
Para promover o povoamento das terras do Brasil de forma lucrativa, para os portugueses, resolveram-se doar sesmarias ( imensos lotes de terras) de tamanhos variáveis. Em Candeias, a primeira sesmaria foi concedida em Caboto em 1560 ao português Sebastião Álvares, Homem influente que ostentava o título de cavalheiro da casa do rei de Portugal.
A região de Caboto foi uma das primeiras da Bahia e do Brasil a assistir ao florescimento da economia açucareira; Foi aqui onde tudo começou, onde escravos trazidos da África pelos portugueses eram obrigados a trabalharem nos engenhos de cana-de-açúcar, rendendo assim lucro para os seus senhores. O Distrito é herdeiro da antiga freguesia que no passado tinha duas irmandades: uma composta de negros e outra composta de brancos. Nos anos de 1970, mesmo com algumas indústrias que se instalaram no local, muitos dos moradores continuam valorizando as atividades pesqueiras, pois grande parte dessas indústrias tem pouco valorizado a mão de obra dos moradores desse distrito, semelhantemente, também os moradores de Candeias, que vem enfrentando os mesmos problemas.  A Partir do Distrito de Caboto, você tem acesso a ilhas e praias diversas, a  exemplo de: ilha de Maré (região pertencente a Salvador), Prainha de Aratu, Distrito de Passé, diversos subúrbios da Capital à beira mar, Refinaria Landulfo Alves, e outras localidades; sendo que, os transportes para o deslocamento para estes passeios acontece na própria região de Caboto, onde barqueiros usam seus barcos e canoas para oferecerem passeios aos turistas e visitantes do local, afim de obter uma renda extra com esses transportes marítimos.
e a história continua... Acesse o link da postagem onde conta a história do Engenho Freguesia, atual museu Wanderley Pinho.

Passé - Terra do Peixe, da História e da Moqueca.

O Nome Passé vem de origem do Tupi, dos índios Tupinambás, onde os mesmos habitavam nessa localidade até o dia em que chegaram aqui os portugueses, que tiveram confrontos com essa tribo indígena e sendo muitos dos índios mortos pelas tropas do Governador Mem de Sá, vindo assim os portugueses e se apossando das terras desse local.
Nos anos de 1563, logo após a doação das sesmarias (Imensos lotes de terras) na região de Caboto, chegou à vez de Passé, onde padres jesuítas também foram beneficiados com esses imensos lotes de terras, afim de que a plantação de canaviais e a construção de engenhos fossem mais prósperas na região de Candeias.
Nesse tempo, Passé era um distrito de Salvador, assim como Caboto (Matoim), quando Candeias ainda era residida por poucos habitantes, mas com a descoberta do petróleo em 1941, o que era chamado de distrito da capital passou a ser cidade independente em alguns anos depois, sendo assim Passé e Matoim áreas pertencentes a Candeias, ou seja, distritos de Candeias.     _
Passé é um distrito que está localizado à beira mar, onde, moradores e visitantes costumam exercer atividades de pesca e esportes náuticos, e fica vizinho aos manguezais do Rio São Paulinho, rio esse que deságua na baía de todos os santos, em frente ao Rio do cunha, localidade pertencente ao distrito. Passé é uma região dotada de paisagens belíssimas, com vista para as regiões de Coqueiro Grande, Pitinga, Caboto, Salvador, Refinaria Landulpho Alves, Porto de Aratu e algumas ilhas próximas. O Distrito está dividido em várias partes que recebem o nome de: Querente, Roça Grande, Mucunga, Restinga, Gamboa, Caeira e Rio do Cunha.   _

Prainha da Boca do Rio

A Prainha da Boca do Rio, conhecida por muitos como Prainha de Aratu,  é uma área de preservação ambiental, recreação, e pesca; está localizada no município de Candeias, e é um dos pontos turísticos mais badalados da cidade, principalmente na estação do verão, onde banhistas de várias regiões da Bahia e do Brasil, vem navegando em seus transportes marítimos pelas águas da baía de Aratu, e se deparam com este lindo e pequeno balneário, com suas águas límpidas e tranquilas, onde, os turistas acabam se acomodando por um espaço de tempo em nossa praia em seus roteiros turísticos, além de terem ainda o privilégio de conhecer os dois portos: o Porto de Aratu e o Porto da Ford, que ficam próximos à Praia.
Às Margens da Boca do Rio, viveram os índios Tupinambás, antes mesmo da descoberta do Brasil, e, segundo relatos de historiadores, não houveram indícios de confrontos dos índios com os brancos por esta área.
Apesar de terem construídos os dois portos nas proximidades da praia, algumas  famílias ainda residem nessa localidade até os dias de hoje, e, segundo as informações de nativos, no passado, haviam  fontes de água doce e vários minadores próximo à praia, mas, por volta do ano de 1975, com a construção do Porto de Aratu, e, mais algumas empresas instaladas no local, a exemplo da empresa Dow Química (atual Dow Brasil), e Mendes Junior, essas fontes de água doce foram destruídas com a construção do porto, e deixaram de existir; fontes essas onde os moradores da localidade aproveitavam as águas para seus gastos. No local havia também: armazém, escola, barzinhos, e um caminho repleto de bananeiras que dava acesso ao distrito de Caboto.
O Fato de a Praia estar localizada há poucos metros do Porto de Aratu, não concede a permissão para  ampliações de plataformas ou terminais sobre o Balneário, que mede aproximadamente 400 metros de comprimento, pois, a área da praia está fora da poligonal do porto, onde o polígono foi criado por decreto presidencial de Dilma Rousseff, publicado em 5 de junho de 2015.
O decreto delimita de maneira precisa, com todas as coordenadas georeferenciadas, qual deve ser a área destinada à construção de portos na região, onde a Prainha está fora dos limites criados por Dilma.
Moradores da região comentam que essa baía,já foi um lugar mais bonito no passado de que nos dias atuais, mas, as belezas foram se acabando por causa das empresas que chegaram ao local mudando a rotina dos nativos.
O Porto de Aratu é um gerador de muitas outras indústrias; indústrias essas, que, se instalaram no local onde esse fato vem deixando as comunidades pesqueiras mais preocupadas, pelo motivo de vir aumentando a poluição e a degradação ambiental por parte dessas empresas, tornando algumas praias mais próximas, impróprias para o banho devido ao grande despejo de produtos químicos provocados pelo movimento de embarcações que circulam pela baía de Aratu, degradando praias, corais e manguezais, que ficam próximos à essa região.
A Prainha de Aratu é um balneário que desperta a cobiça de políticos e empresários , onde os tais não fazem caso da área como recreação e pesca, onde, o objetivo dos mesmos são objetivos financeiros e gananciosos, como a exemplo da empresa Braskem (Odebrecht) que tentou a todo custo instalar um terminal privativo na localidade com o apoio do governador da Bahia, Rui Costa, com o objetivo de prejudicar a nossa área de maior produtividade pesqueira da baía de todos os santos, que é a baía de aratu, com a transportação feitas por navios que carregam produtos de alta periculosidade colocando em risco a vida marinha e dando fim ao nosso balneário, mas, graças ao barulho feito pelas comunidades pesqueiras no ano de 2017, os planos dessas atividades que ameaçavam a existência da nossa praia foram dissipados, através do parecer do procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Saiba mais acessando o site: Poder 360.
Apesar de termos uma grande extensão de manguezal em nossa cidade, Candeias, essa é a única praia existente em nosso município, e, por esse motivo, cuide desse patrimônio ambiental, e ao Visitar a praia, evitem o descarte de lixo no local, pois, ela é nossa, e você é o responsável pelo zelo e pela manutenção da mesma; Estamos sempre recebendo visitas de voluntários, onde os mesmos fazem a limpeza geral da nossa Prainha. Ao terminar o seu dia de lazer, recolha nas mesmas sacolas o seu lixo, ponha em seus transportes e deixem numa lixeira de uma cidade mais próxima, e fazendo isso, a natureza e nós agradecemos de verdade.
Obs: Este local não possui nenhuma assistência do poder público da cidade, e, sendo assim, vamos manter sempre limpa a nossa praia, cuidando e zelando do meio ambiente, pois, aqui está um dos pontos turísticos mais movimentados da cidade de Candeias.
Curta a Nossa Página No Facebook
Participe do Grupo No Whatsapp
Atenção: O Grupo do Whatsapp é um grupo em prol da preservação ambiental da Prainha, e você pode tirar suas dúvidas, de como chegar ao local, e sobre Transportes, Preços de Barcos etc... é um grupo voltado para assuntos de preservação ambiental.

Caso você queira contratar Barcos para conhecer a Prainha e outros locais, fale com os Barqueiros Ualace ou com o Valdemir