Pescadores Denunciam Empresa Por Provocar Desmatamento de Mangue Na Baía de Aratu



Crime Ambiental! Pescadores e marisqueiros das regiões de ilha de Maré e Candeias denunciaram nessa semana um crime ambiental por parte de uma empresa que executa serviços próximo a uma área industrial na Baía de Aratu. Desde algumas semanas atrás, o nosso grupo de whatsapp vem recebendo denúncias contra essa tal empresa que vem prestando serviços numa área que fica entre o porto de Aratu, o porto da Ford, e na Dow Brasil. no município de Candeias, na Baía de Aratu, onde uma grande extensão de área de mangue vem sendo desmatada. Nega Marizélia, que faz parte da associação de pescadores da ilha de Maré, gravou um vídeo em ato de repúdio contra a atitude da tal empresa e mostrando o descaso dos governos que, na maioria das vezes, agem com conivência favorecendo muitas dessas empresas. O secretário de meio ambiente do município de Candeias, Toni Gleidson, recebeu a denúncia e prometeu averiguar a situação, enquanto Alberto Santana, chefe da divisão técnica operacional do Ibama na Bahia, ao saber da situação relatou em áudio que o órgão não pactua com nenhum tipo de crime ambiental e prometeu averiguar o fato com uma equipe o mais breve possível, e explicou que nesse período da pandemia está sendo difícil de exercer análises por conta dos riscos, mas, Alberto se lamentou pelo ocorrido e prometeu ajuda no caso. Segundo os pescadores e marisqueiros, a empresa acusada de provocar o crime ambiental na região é conhecida como "Bahia Terminais"; Empresa que labuta com operações portuárias. A empresa Dow Brasil se manifestou sobre o caso, e relatou que não tem nada a ver com as obras.
Os casos de crimes ambientais no município de Candeias vem acontecendo com frequência ao longo de vários anos onde, esses mesmos casos parecem ser infinitos, e as campanhas de conscientizações parecem mais histórias de faz de conta aos olhos de boa parte de políticos e de alguns empresários que se instalaram no município no intuito de fazer crescer as suas empresas e ao mesmo tempo, fazer dissipar o mais importante para a vida humana, que é o meio ambiente ecologicamente equilibrado.
As áreas dos manguezais são áreas intocáveis com rígidos limites de exploração, é o que diz a lei federal de Nº 12.651/2012, no entanto, algumas empresas e pessoas físicas não tem temido a esse código que pune qualquer ato de degradação contra esse ecossistema que é fundamental para a vida marinha. Há mais ou menos um mês atrás, no dia mundial da preservação dos manguezais, o grupo Maré Sustentável elaborou um vídeo com a participação do professor Jair Cardoso destacando a importância de se preservar esse rico bioma que serve como berçário para boa parte das espécies que vivem no mar e até mesmo na água doce. O trabalho foi feito com o objetivo de conscientizar as pessoas de como é importante cuidar do ecossistema manguezal.
Além da região degradada ser uma área rica em vegetação, no local passa uma nascente de água doce que deságua no direto mar, foi o que afirmou os moradores de uma comunidade próxima, e segundo o secretário de meio ambiente do município, a obra possui liberação do INEMA.
Logo no vídeo a seguir, você pode conferir em fotografias a devastação feita pela empresa e o tamanho da área que foi prejudicada pelo desmatamento. As comunidades que não foram avisadas e nem convidadas para uma audiência pública aguardam uma resposta por parte dos órgãos ou até mesmo da tal empresa que está causando esse impacto na vegetação e no mar.



Fotos e vídeo: Marizélia Lopes

Um comentário: